quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Submissão

O que a Submissão da Mulher Significa


1. Submissão se oferece pela mulher ao próprio marido.

Colossenses 3:18 e Efésios 5:22 falam diretamente às esposas. Infelizmente, muitos homens têm interpretado o texto como se fosse a responsabilidade deles manter suas esposas "na linha". Mas Deus chama as mulheres para sua responsabilidade de "alinhar-se" debaixo da liderança de seus próprios maridos.

Seria um contra-senso falar de "submissão exigida" pelo marido, e não submissão oferecida a ele pela mulher, seria ridículo como a pessoa que fala: "Exijo que você me ame espontaneamente!" Submissão é uma obra do Espírito Santo no coração da mulher. É uma questão entre a mulher e seu Deus, ou seja, alinhamento vertical com Deus, que resulta num alinhamento debaixo da liderança do marido.

Não adianta o homem insistir em submissão. Cabe a ele orar para que Deus transforme o coração de sua esposa. Semelhantemente, a mulher com marido que fica pressionando-a para "submeter-se" a ele precisa primeiro avaliar o coração dela diante de Deus, depois procurar ser a mulher de espírito manso e tranqüilo (1 Pe 3:1-6), e finalmente orar pelo marido.

2. Submissão da esposa é uma ordem, não uma opção.

Mesmo sendo algo oferecido ao marido pela mulher, o ensino bíblico nos lembra de que submissão é uma ordem. Essa, a segunda pincelada do Artista no retrato da mulher submissa, deixa claro que submissão é primariamente e principalmente uma questão entre a mulher e Deus. A ordem está no tempo presente, ou seja, deve ser contínua e não ocasional. Deus não necessariamente chama a mulher para entender o plano divino, mas, sim, obedecê-lo. Podemos afirmar que há grande perigo para a família que rejeita a receita divina para relacionamentos saudáveis no lar.

Alguns afirmam nesses dias pós-modernos de relativismo, que tal ordem foi uma acomodação à cultura daquela época. Infelizmente, esse argumento não tem base. O ensino bíblico quanto ao papel da mulher é unânime, trans-cultural e trans-temporal: desde a criação, depois da queda, antes e depois da Lei, antes e depois da Cruz de Cristo. Paulo e Jesus não eram machistas como muitos alegram; muito pelo contrário. Os dois eram radicais extremistas em termos da liberdade e atenção oferecidas às mulheres numa cultura altamente préconceituada. Protegeram e elevaram o "status" das mulheres através do seu ensino sobre a santidade do casamento, a preservação da dignidade sexual da mulher, e sua igualdade com o homem relativo à posição em Cristo.

3. Submissão significa alinhar-se debaixo do marido.

O terceiro "toque" do Artista define a submissão. Podemos afirmar que o significado do termo hoje NÃO se deriva da idéia de uma "missão inferior" ("sub"- missão), como se a tarefa dela fosse menos importante que a do homem. Também não concordamos com aquele que definiu submissão como "a arte de saber quando abaixar para que Deus possa bater em seu marido!" O verbo grego traduzido como "submissão" traz a idéia de "colocar-se em ordem debaixo". É a idéia de alinhar-se debaixo da liderança do marido, para o bom funcionamento do lar. Isso não é por causa de uma suposta inferioridade, mas pelo fato de que não poder haver dois chefes no lar. De novo, isso não significa autonomia masculina no lar, só que, na última análise, a responsabilidade de liderar recai sobre o homem. A responsabilidade é dele, a culpa será dele, e a mulher fica protegida quando ela segue a liderança dele.

Mais uma vez podemos entender isso pela ilustração da dobradiça de uma porta. Para a porta revolver-se eficientemente, alguém precisa alinhar e encaixar todos os anéis da dobradiça, um em baixo do outro. Todos os anéis são feitos do mesmo material, com a mesma força. Não é uma questão de inferioridade, mas, de funcionamento equilibrado. Para a porta da família funcionar bem, todas as dobradiças precisam ficar alinhadas, "no eixo".

Para isso, o homem precisa assumir seu lugar como líder, delegando sem abnegar de sua responsabilidade. A mulher precisa andar em conjunto com o marido, seguindo-o e complementando-o desde que esse não exija que ela desobedeça a padrões divinos. Jovens precisam tomar muito cuidado para não casarem-se com alguém com que não poderá "alinhar-se" eficientemente, ou seja, num jugo desigual que cria uma "porta torta" e uma dobradiça barulhenta.

4. Submissão bíblica significa respeitar o marido.

Dissemos que o termo "submissão" significa "alinhar-se debaixo do marido". Mas alinhar-se debaixo de outra pessoa forçosamente, sem o devido respeito, iguala-se à opressão na melhor das hipóteses e prostituição na pior. Como sempre, Deus está mais interessado no coração da mulher do que no mero rito de "submissão". Submissão sem respeito é como obediência sem honra. Vemos isso claramente na criação de nossos filhos. Se não atingirmos o coração da criança, produzimos hipocrisia. A mulher que "submete-se" "de boca pra fora" ainda não compreendeu a vontade de Deus para seu lar. Nesse caso, seria como uma dobradiça que está alinhada, mas que sempre chia, irritando todos ao redor.

Efésios 5:33 resume toda a discussão sobre o papel da mulher com a palavra "respeito". Da mesma forma como a igreja deve ser submissa a Cristo, a esposa deve se submeter ao seu marido, com essa atitude de coração chamada "respeito". A palavra original traz a idéia de "temor", não no sentido de ficar encurvada e temerosa diante do marido, mas num relacionamento intimo de honra e consideração, assim como na frase "o temor do Senhor".

1° Pedro 3:1-6 também reflete esse aspecto interior de submissão. Deus valoriza o espírito manso e tranqüilo da mulher, especialmente no relacionamento submisso diante de um marido que, humanamente falando, talvez não mereça tanto respeito. O respeito não é necessariamente porque o marido é digno, mas pelo fato de que Deus o constituiu como líder do lar. Não é respeito tanto pela pessoa, mas, pela posição dada por Deus. Essa é a mesma posição bíblica quanto à submissão do cristão diante das autoridades políticas, sejam justas ou injustas, por serem estabelecidas por Deus.

Certamente a mulher precisa traçar um limite quando o marido exige algo contrário à Palavra. Mas precisa também verificar com muito cuidado que não haja uma opção criativa para não ter que desobedecer a Deus nem o marido.

5. Submissão bíblica requer uma obra sobrenatural no coração da mulher.

O último toque do Artista acrescenta a idéia de submissão "como convém no Senhor" (Cl 3:18). A frase lembra-nos de que o padrão é celestial. Temos que admitir que tudo que Deus pede para relacionamentos saudáveis no lar está fora da nossa capacidade natural. A mulher não submete-se ao marido natural e espontaneamente. Da mesma forma, como veremos depois, a natureza do homem não é de amar sacrificalmente sua esposa, mas de explorá-la e usá-la para seus próprios fins egoístas.

Desde a Queda a tendência da mulher tem sido tentar superar o marido, não sendo "auxiliadora idônea" que complementa-o, mas alguém que compete com ele. Então, se a tendência natural da mulher é de resistir a liderança do marido, e se a tendência natural do homem é de subjugar a mulher, como podemos voltar ao padrão bíblico de complementação, harmonia, e paz no lar? A resposta está no poder sobrenatural e espiritual vindo como fruto da obra de Cristo na cruz. Em Cristo, as tendências velhas foram vencidas e tudo se fez novo. Efésios 5:18, que antecede o ensino paulino sobre relacionamentos saudáveis no lar, nos lembra de que uma vida controlada pelo Espírito Santo verte o quadro criado pela Queda. Essa é a única esperança para o lar - uma obra sobrenatural em que a vida de Cristo está sendo reproduzida dia após dia na vida tanto do homem como da mulher. Esse retrato é mais valioso que qualquer pintura misteriosa por da Vinci ou outro artista famoso. É a pintura do Artista divino.

Pr. Davi Merkh está casado com sua esposa Carol a 22 anos e têm 6 filhos. Leciona no Seminário Bíblico Palavra da Vida, ministra como pastor auxiliar de exposição bíblica na Primeira Igreja Batista de Atibaia, e é autor de 14 livros com temas voltados para ministério criativo e o lar cristão pelas Editoras Hagnos e Atos.




No primeiro estudo sobre relacionamentos saudáveis no lar, preparamos a tela para a pintura de um retrato de uma mulher cujo valor é inestimável diante de Deus. Assim como a famosa pintura da "Mona Lisa" de Leonardo da Vinci, essa mulher possui um ar misterioso criado pelo Artista divino. Deus a retrata como alguém com espírito manso e tranqüilo, mas que faz uma contribuição singular ao lar cristão. Tendo preparado a tela com o ensino bíblico sobre o que a submissão da mulher NÃO significa, voltemos para ver esses toques leves e equilibrados com que o Artista pintou o quadro daquela que podemos chamar nossa "Mona Submissa". Vejamos, então, o que a submissão feminina significa.

1. Submissão se oferece pela mulher ao próprio marido.

Colossenses 3:18 e Efésios 5:22 falam diretamente às esposas. Infelizmente, muitos homens têm interpretado o texto como se fosse a responsabilidade deles manter suas esposas "na linha". Mas Deus chama as mulheres para sua responsabilidade de "alinhar-se" debaixo da liderança de seus próprios maridos.

Seria um contra-senso falar de "submissão exigida" pelo marido, e não submissão oferecida a ele pela mulher, seria ridículo como a pessoa que fala: "Exijo que você me ame espontaneamente!" Submissão é uma obra do Espírito Santo no coração da mulher. É uma questão entre a mulher e seu Deus, ou seja, alinhamento vertical com Deus, que resulta num alinhamento debaixo da liderança do marido.

Não adianta o homem insistir em submissão. Cabe a ele orar para que Deus transforme o coração de sua esposa. Semelhantemente, a mulher com marido que fica pressionando-a para "submeter-se" a ele precisa primeiro avaliar o coração dela diante de Deus, depois procurar ser a mulher de espírito manso e tranqüilo (1 Pe 3:1-6), e finalmente orar pelo marido.

2. Submissão da esposa é uma ordem, não uma opção.

Mesmo sendo algo oferecido ao marido pela mulher, o ensino bíblico nos lembra de que submissão é uma ordem. Essa, a segunda pincelada do Artista no retrato da mulher submissa, deixa claro que submissão é primariamente e principalmente uma questão entre a mulher e Deus. A ordem está no tempo presente, ou seja, deve ser contínua e não ocasional. Deus não necessariamente chama a mulher para entender o plano divino, mas, sim, obedecê-lo. Podemos afirmar que há grande perigo para a família que rejeita a receita divina para relacionamentos saudáveis no lar.

Alguns afirmam nesses dias pós-modernos de relativismo, que tal ordem foi uma acomodação à cultura daquela época. Infelizmente, esse argumento não tem base. O ensino bíblico quanto ao papel da mulher é unânime, trans-cultural e trans-temporal: desde a criação, depois da queda, antes e depois da Lei, antes e depois da Cruz de Cristo. Paulo e Jesus não eram machistas como muitos alegram; muito pelo contrário. Os dois eram radicais extremistas em termos da liberdade e atenção oferecidas às mulheres numa cultura altamente préconceituada. Protegeram e elevaram o "status" das mulheres através do seu ensino sobre a santidade do casamento, a preservação da dignidade sexual da mulher, e sua igualdade com o homem relativo à posição em Cristo.

3. Submissão significa alinhar-se debaixo do marido.

O terceiro "toque" do Artista define a submissão. Podemos afirmar que o significado do termo hoje NÃO se deriva da idéia de uma "missão inferior" ("sub"- missão), como se a tarefa dela fosse menos importante que a do homem. Também não concordamos com aquele que definiu submissão como "a arte de saber quando abaixar para que Deus possa bater em seu marido!" O verbo grego traduzido como "submissão" traz a idéia de "colocar-se em ordem debaixo". É a idéia de alinhar-se debaixo da liderança do marido, para o bom funcionamento do lar. Isso não é por causa de uma suposta inferioridade, mas pelo fato de que não poder haver dois chefes no lar. De novo, isso não significa autonomia masculina no lar, só que, na última análise, a responsabilidade de liderar recai sobre o homem. A responsabilidade é dele, a culpa será dele, e a mulher fica protegida quando ela segue a liderança dele.

Mais uma vez podemos entender isso pela ilustração da dobradiça de uma porta. Para a porta revolver-se eficientemente, alguém precisa alinhar e encaixar todos os anéis da dobradiça, um em baixo do outro. Todos os anéis são feitos do mesmo material, com a mesma força. Não é uma questão de inferioridade, mas, de funcionamento equilibrado. Para a porta da família funcionar bem, todas as dobradiças precisam ficar alinhadas, "no eixo".

Para isso, o homem precisa assumir seu lugar como líder, delegando sem abnegar de sua responsabilidade. A mulher precisa andar em conjunto com o marido, seguindo-o e complementando-o desde que esse não exija que ela desobedeça a padrões divinos. Jovens precisam tomar muito cuidado para não casarem-se com alguém com que não poderá "alinhar-se" eficientemente, ou seja, num jugo desigual que cria uma "porta torta" e uma dobradiça barulhenta.

4. Submissão bíblica significa respeitar o marido.

Dissemos que o termo "submissão" significa "alinhar-se debaixo do marido". Mas alinhar-se debaixo de outra pessoa forçosamente, sem o devido respeito, iguala-se à opressão na melhor das hipóteses e prostituição na pior. Como sempre, Deus está mais interessado no coração da mulher do que no mero rito de "submissão". Submissão sem respeito é como obediência sem honra. Vemos isso claramente na criação de nossos filhos. Se não atingirmos o coração da criança, produzimos hipocrisia. A mulher que "submete-se" "de boca pra fora" ainda não compreendeu a vontade de Deus para seu lar. Nesse caso, seria como uma dobradiça que está alinhada, mas que sempre chia, irritando todos ao redor.

Efésios 5:33 resume toda a discussão sobre o papel da mulher com a palavra "respeito". Da mesma forma como a igreja deve ser submissa a Cristo, a esposa deve se submeter ao seu marido, com essa atitude de coração chamada "respeito". A palavra original traz a idéia de "temor", não no sentido de ficar encurvada e temerosa diante do marido, mas num relacionamento intimo de honra e consideração, assim como na frase "o temor do Senhor".

1° Pedro 3:1-6 também reflete esse aspecto interior de submissão. Deus valoriza o espírito manso e tranqüilo da mulher, especialmente no relacionamento submisso diante de um marido que, humanamente falando, talvez não mereça tanto respeito. O respeito não é necessariamente porque o marido é digno, mas pelo fato de que Deus o constituiu como líder do lar. Não é respeito tanto pela pessoa, mas, pela posição dada por Deus. Essa é a mesma posição bíblica quanto à submissão do cristão diante das autoridades políticas, sejam justas ou injustas, por serem estabelecidas por Deus.

Certamente a mulher precisa traçar um limite quando o marido exige algo contrário à Palavra. Mas precisa também verificar com muito cuidado que não haja uma opção criativa para não ter que desobedecer a Deus nem o marido.

5. Submissão bíblica requer uma obra sobrenatural no coração da mulher.

O último toque do Artista acrescenta a idéia de submissão "como convém no Senhor" (Cl 3:18). A frase lembra-nos de que o padrão é celestial. Temos que admitir que tudo que Deus pede para relacionamentos saudáveis no lar está fora da nossa capacidade natural. A mulher não submete-se ao marido natural e espontaneamente. Da mesma forma, como veremos depois, a natureza do homem não é de amar sacrificalmente sua esposa, mas de explorá-la e usá-la para seus próprios fins egoístas.

Desde a Queda a tendência da mulher tem sido tentar superar o marido, não sendo "auxiliadora idônea" que complementa-o, mas alguém que compete com ele. Então, se a tendência natural da mulher é de resistir a liderança do marido, e se a tendência natural do homem é de subjugar a mulher, como podemos voltar ao padrão bíblico de complementação, harmonia, e paz no lar? A resposta está no poder sobrenatural e espiritual vindo como fruto da obra de Cristo na cruz. Em Cristo, as tendências velhas foram vencidas e tudo se fez novo. Efésios 5:18, que antecede o ensino paulino sobre relacionamentos saudáveis no lar, nos lembra de que uma vida controlada pelo Espírito Santo verte o quadro criado pela Queda. Essa é a única esperança para o lar - uma obra sobrenatural em que a vida de Cristo está sendo reproduzida dia após dia na vida tanto do homem como da mulher. Esse retrato é mais valioso que qualquer pintura misteriosa por da Vinci ou outro artista famoso. É a pintura do Artista divino.

Pr. Davi Merkh está casado com sua esposa Carol a 22 anos e têm 6 filhos. Leciona no Seminário Bíblico Palavra da Vida, ministra como pastor auxiliar de exposição bíblica na Primeira Igreja Batista de Atibaia, e é autor de 14 livros com temas voltados para ministério criativo e o lar cristão pelas Editoras Hagnos e Atos.



quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O pecado da preguiça

Não conheço nenhuma pessoa preguiçosa que teve sucesso em seus intentos. A preguiça é uma característica do homem decaído. A indisposição para trabalhar e realizar qualquer tarefa terá como fruto certo o fracasso.
"A alma do preguiçoso deseja, e coisa nenhuma alcança, mas a alma dos diligentes se farta", Pv 13:4.
Ouço muitos reclamarem que sempre falta no fim do mês, ou que estão sempre presos em dívidas. É admissível passarmos por momentos de lutas e dificuldades, mas viver constantemente nesse estado mostra que há algum problema mais sério que não foi resolvido.
Geralmente as pessoas reclamam de falta porque desperdiçam. Não sabem usar as coisas, usar o tempo, desperdiçam porque são preguiçosos. O desperdício está diretamente relacionado com a preguiça.
Por exemplo: você deixa as luzes acesas quando ninguém usa? Deixa a TV ligada? Perde uma caneta por dia? Gasta mais água que o necessário? Usa quase meio rolo de papel cada vez que vai ao banheiro? Gasta tudo o que tem na carteira sem pensar? Deixa a torneira gotejando meses até arrumar? Deixa o carro vazando óleo?
Todas essas características são de pessoas que desperdiçam e conseqüentemente são preguiçosas.
A Palavra diz em Eclesiastes 10:18: "Por muita preguiça se enfraquece o teto, e pela frouxidão das mãos a casa goteja".
Se você tem problema com a preguiça, provavelmente será desperdiçador e nada prosperará em suas mãos. No seu trabalho, você será um peso para aqueles que te lideram e isso não será como honra para o testemunho de Cristo. "Como vinagre para os dentes, como fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o mandam", Pv 10:26.
Aquele que não cuida do que tem, até o que tem escorrerá das suas mãos. "A mão dos diligentes dominará, mas os negligentes serão tributários", Pv 12:24.
Você precisa cuidar da lavoura que Deus te confiou. Não importa o que esteja debaixo do seu cuidado. Seja algo grande ou pequeno, você deve ser zeloso por aquilo que você é responsável. Você é responsável pelo chão? Então seja diligente em limpar o chão. Você é responsável por estudar? Então seja diligente em estudar. Você é responsável por ensinar, aplique-se nisso. Você é responsável pela casa? Torne-a a casa mais limpa e bem cuidada que existe.
"Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor", Mt 25:21
Deus não pode te confiar maiores responsabilidades ou maior autoridade sobre nada se você não for fiel no pouco que agora Ele te confia.
Saiba como manter e conservar tudo, desde pequenas coisas. O seu caráter é revelado nos pequenos detalhes. Saiba como usar o seu tempo, não desperdice seu tempo com aquilo que não será proveitoso.
Acorde cedo. Na Palavra não faltam exemplos de homens de Deus que logo cedo estava de pé! Jesus era diligente e sabia usar o seu tempo: "E, levantando-se de manhã, muito cedo, fazendo ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava", Mc 1:35. .Dormir mais que o necessário é pura preguiça! "E todo o povo ia ter com ele ao templo, de manhã cedo, para o ouvir", Lc 21:38.
Quando o Senhor opera, há superabundância, mas Ele mesmo ensinou a recolher o que sobrava, para que nada se perdesse: "E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca". Jesus nos ensinou a não desperdiçar e sermos servos diligentes, dominando o próprio corpo, nos apresentando a Deus como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.
Se você quer ser como Jesus e cuidar das coisas do Pai, e prosperar em tudo o que fizer, precisa largar a preguiça.

Pr. José RodriguesPr. José RodriguesCasa de Adoração - Trindade / GO

O caratér de Cristo em nós - Parte 1

Após a sua conversão, Deus começa um trabalho em cada um de nós de transformação do nosso interior.

Qual é o alvo de Deus em nós? Jesus. Ele é o modelo, o protótipo da obra que Ele vai estar edificando em você. A cada dia, o Espírito Santo vai estar trabalhando em você para levá-lo a se parecer com Jesus, a ter o mesmo estilo de vida de Jesus, a ter os mesmos valores de Jesus, ter a mesma conduta de Jesus.

E este é um processo no qual o seu papel é fundamental: você pode resistir ou cooperar. Você pode ser indiferente ou ativo. Se você coopera, o processo é mais brando, com menos sofrimento, se você resiste, o processo é mais duro, lento e sofrido.

Infelizmente, há cristãos que passam quarenta anos frequentando igrejas e não são transformados. Por que? Porque se endurecem contra os tratamentos do Espírito Santo ou ficam indiferentes. Há cristãos que ficam ligados apenas nas coisas do seu dia a dia: o trabalho, o filho, a roupa, o carro, a prestação e deixam que apenas isto encha o seu interior. Deus não nos chamou para isto apenas. A vida é infinitamente superior a tudo isto. O chamado de Deus para nós é para entrarmos na forma, que é Jesus e sermos como Ele.

A formação do caráter é um processo, não é da noite para o dia.

Para Deus formar em você o caráter de Cristo, você precisa ser maleável.

O ritmo, a duração e a intensidade dos tratamentos de Deus dependerão da sua maleabilidade. Pessoas maleáveis vão entrar na forma com facilidade, pessoas duras vão entrar aos trancos e barrancos.

O alvo de Deus é formar em você o caráter de Cristo. Deus é pai. Ele tem o melhor para você. E se precisar corrigir você duramente, Ele o fará. Vamos fazer uma comparação para que você entenda melhor: A varíola era uma doença que levava uma criança à morte ou deixava sequelas drásticas. A vacina da varíola, porém, tinha reações terríveis. A mãe devia fazer uma escolha: vacinava seu filho contra varíola e permitia que ele passasse por um sofrimento grande de alguns dias, um sofrimento que talvez ele não entendesse ou deixava o seu filho exposto à doença que poderia ser fatal ou deixar consequências desastrosas. Uma mãe de verdade, sempre escolheria a vacina. Assim é o coração de Deus. Ele é pai. Se Deus sabe que para você, o melhor é determinado caminho, mesmo que te pareça desconfortável, Ele não vai titubear, vai fazer o que for melhor para você.

Deus não trabalha em cima de circunstâncias, Ele trabalha em cima de um propósito.

O propósito maior de Deus é ver em você a imagem de Jesus perfeitamente edificada.

Ele não vai tirar você de circunstâncias difíceis apenas visando o seu bem estar imediato.

Faço uma ressalva para que este princípio fique claro: O alvo de Deus não é ver você sofrer. Deus não tem prazer no seu sofrimento.

Por outro lado, Deus não vai gerar morte, enfermidade, situações desastrosas na vida de ninguém. Isto é incoerência com a Palavra de Deus. Em Isaías, a Palavra de Deus diz que Jesus levou sobre si toda enfermidade, toda angústia. Ele levou, é passado, Ele não vai ficar mandando para você.

Entenda que Deus quer o melhor para você, Deus não vai, Ele mesmo lançar, gerar situações dolorosas na sua vida. Deus usa circunstâncias que o diabo lançou ou nós mesmos, pelas nossas concupiscências ou ignorância de princípios espirituais geramos.

O que Deus faz? Ele faz com que todas as coisas cooperem para o bem dos que o amam.

Deus usa a enfermidade, o pecado, o prejuízo, a tragédia para te aperfeiçoar, mas isto não quer dizer que foi Deus quem lançou isto em você. Isto é sério! Pessoas que são abertas a aceitar qualquer coisa como sendo vontade e plano de Deus para ele, ficam abertas a ataques do diabo, tornam-se alvos fáceis para satanás.

Deus vai fazer com que todas as coisas cooperem para o seu bem, ou seja, vai usar circunstâncias difíceis que você mesmo gerou ou o diabo lançou para trazer um benefício final para a formação do seu caráter.

O nosso problema com este versículo é que muitas vezes, a nossa escala de valores é muito diferente da escala de Deus. Qual é o maior bem que Deus vê? Você entrar na forma e sair dela mais parecido com Jesus. A cada circunstância, Deus quer a sua resposta: enxergar o que Deus quer fazer, ser maleável, entrar na forma e sair da circunstância mais parecido com Deus.

À medida que o tempo for passando você vai perceber que Deus está trabalhando na sua vida e você tem, a cada dia, se tornado numa pessoa menos volúvel, mais firme nos propósitos, mais humano, mais simples, menos arrogante, menos tímido, menos hipócrita, mais manso...

O nosso alvo é ensinar você a identificar os tratamentos que Deus precisa ter na sua vida, identificar as áreas que precisam ser transformadas e depois ensiná-lo como cooperar com Deus, como responder ao Espírito Santo. Porque algo muito triste é vermos dentro da igreja cristãos totalmente cegos para o seu próprio interior. Há crentes que pensam que o padrão de Deus para eles é o bom comportamento, pagar as contas em dia, fazer caridade, ser honesto... isto é ser um bom religioso e não nos difere em nada dos católicos, dos espíritas... Nós recebemos a vida de Deus dentro de nós e o Espírito de Deus agora tem um alvo: nos moldar. O modelo é Jesus! Isto é fato! É possível parecer-se a cada dia mais e mais com Jesus.

Se você for contar da maneira mais resumida sobre a sua vida nesta terra, desde o dia que você nasceu resume-se nisto: o processo de Deus trabalhar em você para te levar a parecer com Jesus. Este tempo é a história do tratamento de Deus, das circunstâncias criadas por Deus para te levar a entrar na forma, no molde, que é Jesus. Pois assim, como Jesus foi a exata expressão do Deus Pai enquanto ele viveu nesta terra, Deus vai trabalhar em você para que você seja a exata expressão de Jesus.

Ore comigo esta oração: " Pai, eu quero cooperar com o Senhor; eu não quero ser alguém que resiste aos tratamentos do Senhor, nem que se endurece, não quero ser cego sobre mim mesmo. Venha com sua luz e brilhe no meu interior para que eu veja a mim mesmo segundo a sua visão. Eu não quero ser alguém ignorante quanto aos seus caminhos e desígnios. Quero ser maleável nas suas mãos."

Pra. Viviane Adelar CoutinhoPra. Viviane Adelar CoutinhoCasa de Adoração - Trindade / GO

domingo, 7 de agosto de 2011

METAS OU PROPÓSITO?

PALAVRA SOBRE UNIDADE
Metas ou Propósito? Devemos nos perguntar, estamos simplesmente cumprindo metas ou estamos em busca de um propósito comum? A meta é benéfica quando ela está sob a tutela de um propósito comum, porém quando a desvencilhamos do sentimento comum, passamos a desenvolver nossas metas em cima de uma "motivação pessoal".

Então, aquilo que devia ser um interesse coletivo, é desvirtuado por um interesse pessoal, fazendo assim com que cada um se feche em relação ao outro, e é de se entender que quando vivemos apenas para cumprir metas, criamos para nos mesmo uma cápsula de proteção, fazendo com que desenvolvamos em nós, uma justiça caduca, fedorenta que mais nos isola das pessoas do que nos uni a elas.


O perigo de se andar por metas, é por que ela tem um poder de desenvolver em nós uma justiça desvencilhada da graça de Deus, nos tornando pessoas duras e inflexíveis. A meta não nos permite, diminuir o ritmo dos nossos passos para esperar os que têm passos mais curtos, no entanto não valerá apenas sermos o primeiro alcançar a linha de chegada e não termos ninguém para se alegrar e participar daquela conquista conosco.

A meta é um desafio pessoal que visa uma conquista pessoal que trará uma alegria pessoal. Já o propósito é um desafio coletivo que visa conquistas coletivas que trará uma alegria coletiva.

Devemos rever a definição do que se é EFICIÊNCIA "eficiência é andar juntos e ainda assim alcançar a linha de chegada.


ADVERTÊNCIA


Cada um deve fazer as seguintes perguntas: Quais as pessoas que eu mais feri buscando atingir a minha meta? Quais as pessoas, que eu não me interessei pelas suas dificuldades, por achar que seria um atraso para as minhas prioridades? Quais as pessoas que eu não quis andar com ela, por seus passos ser mais curtos que o meu?

PARA SE CONSTRUIR É NECESSÁRIO PEDRA SOBRE PEDRA.

Pr. Everardo

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Crianças afetadas pela violência continuam a ser negligenciadas

NOTÍCIAS
Crianças afetadas pela violência continuam a ser negligenciadas

As crianças continuam a ser negligenciadas e impedidas de estudar, ainda três anos após os ataques que ocorreram em Kandhamal.

De acordo com um ativista dos direitos das crianças, Mahendra Parida, milhares de crianças ainda estão desanimadas e não recebem nenhum apoio do governo.

Depois da violência ocorrida em 2008, diz Parida, as crianças foram obrigadas a abandonar as escolas e a ingressar em massa no mercado de trabalho.

Parida apresentou suas descobertas em uma audiência pública, em âmbito estadual, pela Comissão Nacional de Proteção dos Direitos da Criança (NCPCR).

Os horríveis incidentes de violência ocorridos em Kandhamal tiveram um impacto muito negativo na vida das crianças e muitas delas ainda carregam traumas pelo ocorrido, disse Parida .

O distrito de Kandhamal foi o epicentro da violência anticristã, entre agosto e outubro de 2008, quando centenas de igrejas foram queimadas e milhares de pessoas foram forçadas a fugir de suas residências e de suas comunidades, que sofreram com as multidões violentas.

Enquanto milhares de crianças foram obrigadas a sair das escolas, muitos outros fugiram para lugares distantes em busca de alternativas para sobreviver.

Além disso, a falta de acesso adequado à alimentação e nutrição provocou uma grave deterioração na saúde dessas crianças.

De toda a população afetada pela violência, quase 36% tinham menos de 18 anos de idade. Parida apresentou suas descobertas na quarta-feira, depois de interrogarem mil diferentes famílias atacadas, que moravam em Kandhamal.

Dr. Shantha Sinha, presidente da NCPCR, alegou que o governo do Estado não tomou as medidas e recomendações necessárias e eficazes para que a vida dessas crianças tivesse melhorias.

Fonte: Portas Abertas

Pastor do Irã ainda aguarda decisão sobre sua execução


NOTÍCIAS
01 de Agosto de 2011
Pastor do Irã ainda aguarda decisão sobre sua execução

Um pastor no Irã, considerado culpado de abandonar o Islã, aguarda o resultado de uma investigação judicial sobre sua experiência espiritual para ver se será executado ou, se possível, forçado a se tornar muçulmano.

A investigação judicial tem como objetivo verificar se o pastor Yousef Nadarkhani, 34 anos, era muçulmano quando adolescente, antes de se tornar cristão, aos 19 anos.

Em 22 de setembro de 2010, um tribunal regional condenou Nadarkhani, que lidera um movimento de igrejas domésticas em Rasht, à morte por enforcamento, por se converter ao cristianismo e encorajar muçulmanos a se converter ao cristianismo.

O advogado do pastor recorreu da sentença, afirmando que o pastor nunca foi muçulmano.

O tribunal emitiu uma resposta escrita ao recurso e manteve a pena de morte, mas ordenou que houvesse uma investigação sobre o assunto. Mesmo que o tribunal o libere da acusação de apostasia, é provável que exista uma grande punição pela evangelização, disseram as fontes.

Pessoas familiarizadas com o caso de Nadarkhani disseram que as condições do encarceramento têm sido muito variáveis e somente familiares e seus advogados podem visitá-lo.

Segundo fontes, as autoridades da prisão onde o pastor está preso o pressionam para que se converta ao islamismo, inclusive ameaçando sequestrar sua família.

Nadarkhani teve desentendimentos com autoridades iranianas antes. Em dezembro de 2006, ele foi preso com acusações relacionadas à apostasia e ficou detido por duas semanas.

Ninguém sabe como os funcionários conduzirão as investigações sobre as crenças espirituais de Nadarkhani, pois não conseguirão falar com seus pais, que já são falecidos.

Fonte: Portas Abertas

domingo, 31 de julho de 2011

FOTOS DAFORMATURA DO BILE























PASTORES QUE MINISTRARAM INTENSIVO-MCM-2011

TOMADOS PELA GLORIA


PASTORA JÚ


PASTOR RENATO
PASTOR RAIMUNDO NONATO

PASTOR MARCELO

PASTOR JOSÉ


PASTOR GEOVANNI
PASTOR HEBINHO

PASTOR ANESIO

PASTOR LUIZ HERMINIO


PASTOR OMAR E PASTORA ADRIANA

PASTOR AUGUSTO